Must buy @ espaço LEYA

O Amor nos Tempos de Cólera
Gabriel Garcia Marquez
Páginas: 416
Editora: LEYA
Preço: 9,95€

Este livro é dos poucos que encontramos associados a uma história de amor intemporal. O problema é que este amor não é óbvio. Ao início pensei que fosse impressão minha e que, de facto, o romance estivesse algo escondido, contudo passado algum tempo desde a sua leitura, entendo que a história em o amor em tempos de cólera é espelhada na realidade. Quanto mais tempo passa, mais a história se torna clara e entranha-se, contudo este sentimento nostálgico só aparecerá passado uns meses ou até anos. O que só torna o livro, em certa medida, especial.
Sinopse:
Ao longo de quatrocentas páginas vertiginosas, compostas numa espécie de pauta estilística e musical, onde se fundem o fulgor imagístico, o difícil triunfo do amor, as aventuras e desventuras da própria felicidade humana, O Amor nos Tempos de Cólera é um romance que leva o leitor numa aventura encantatória, de uma escrita que não tem imitadores à altura. IMPERDÍVEL!

O som e a fúria
William Faulkner
Páginas: 288
Editora: Dom Quixote
Preço: 16,90€

Um repetente nestas escolhas, é obra. Ainda que este livro seja mais difícil de ler que o “Na minha morte” e irá certamente desesperar muita gente durante a sua leitura, vale a pena para quem quer aprender a técnica do “stream of consciousness”.
Sinopse:

O Som e a Fúria é a tragédia da família Compson, apresentando algumas das personagens mais memoráveis da literatura: a bela e rebelde Caddy, Benjy, o filho varão, o assombrado e neurótico Quentin; Jason, o cínico brutal, e Dilsey, o criado negro. Com as suas vidas fragmentadas e atormentadas pela história e pela herança, as suas vozes e ações enredam-se para criar o que é, sem dúvida, a obra-prima de Faulkner e um dos maiores romances do século XX.

O ano da morte de Ricardo Reis
José Saramago
Páginas: 584
Editora: Caminho
Preço: 16,90€ (tente adquiri-lo na hora H)

Quem se questiona o porquê de Saramago ter ganho o nobel, leia este livro. Se não entendeu metade dos “pwns” do senhor, então não se considere merecedora de ter lido tal obra. A complexidade de Saramago é deliciosa. A sua prosa tanto encanta os menos treinados na leitura, como os estudiosos (que passam a vida e analisar tudo).
Sinopse:

«Um tempo múltiplo. Labiríntico. As histórias das sociedades humanas. Ricardo Reis chega a Lisboa em finais de Dezembro de 1935. Fica até Setembro de 1936. Uma personagem vinda de uma outra ficção, a da heteronímia de Fernando Pessoa. E um movimento inverso, logo a começar: «Aqui onde o mar se acaba e a terra principia»; o virar ao contrário o verso de Camões: «Onde a terra acaba e o mar começa». Em Camões, o movimento é da terra para o mar; no livro de Saramago temos Ricardo Reis a regressar a Portugal por mar. É substituído o movimento épico da partida.»
As palavras do Corpo
Maria Teresa Horta (my love, my muse)
Páginas: 296
Editora: Dom Quixote
Preço: 14,90€ (na feira do livro está a 11,90€)

Nunca pensei em Maria Teresa Horta como uma influência, mas “looking back” penso que foi das únicas pessoas que me levou a escrever erótico de uma forma bela e directa! Gostava que tivesse mais projecção até porque poucas pessoas se podem gabar de escrever bem partes eróticas em português sem parecer “awkward” ou amador. Um must-buy!

Sinopse:

Neste livro, As Palavras do Corpo, Maria Teresa Horta reúne toda a sua poesia erótica. Uma obra ousada e corajosa que nos dá a ver a libertação do corpo das mulheres: o seu gosto, o seu prazer, o seu modo de amar. Uma ode aos sentidos.

Advertisements

Must buy @ FLP: estaminé da Presença

O Grande Gatsby
F. Scott Fitzgerald
Editora: Presença
Preço: 10,90€

Uma obra breve, intenso com um retrato fidedigno dos Estados Unidos da América durante a lei seca e da busca do “American Dream”. Dos poucos clássicos cuja leitura não é, nem complexa, nem complicada.

Sinopse: 

Obra-prima de F. Scott Fitzgerald, O Grande Gatsby (1925) tornou-se não só um clássico da literatura do século XX, como o retrato mais expressivo da «idade do jazz», em todo o seu esplendor e decadência. Jay Gatsby é o herói que personifica o materialismo obsessivo e o desencanto do pós-Primeira Guerra Mundial. Imensamente rico e desprovido de escrúpulos, Gatsby procura preencher o vazio que o domina tentando impressionar e conquistar Daisy Buchanan, por quem se apaixonara na sua juventude mas que entretanto casara com o milionário Tom Buchanan. No entanto, na sua busca de um amor e uma inocência perdidos, Gatsby encontra apenas o fim de um sonho.

Jane Eyre
Charlotte Brontë
Editora: Presença
Preço: 24,50€ (tentem procurar este livro como Livro do Dia, visto ainda não ter tempo suficiente para estar na hora H)

A história da Cinderela com um príncipe estranho. Mr. Rochester não é o homem bonito, charmoso, nem Jane Eyre é uma mulher sedutora, mas no fundo qual o encanto de uma história onde tudo é perfeito?

Sinopse:

Jane Eyre é uma obra-prima da literatura inglesa, a autobiografia ficcionada de uma jovem que, depois de uma infância e adolescência desprovidas de afecto, se torna preceptora em Thornfield Hall e se apaixona pelo seu proprietário, Mr. Rochester. Plenamente correspondida nos seus sentimentos, Jane julga ter encontrado o amor por que ansiara toda a vida, mas Thornfield Hall esconde um segredo tenebroso que ameaça ensombrar a sua felicidade. Numa atmosfera misteriosa e inesquecível, acompanhamos esta heroína de espírito puro e apaixonado, que trava uma luta interior constante para se manter fiel às suas convicções e a si própria. Jane Eyre tem agora uma nova versão cinematográfica, com Mia Wasikowska, Michael Fassbender e Judi Dench nos principais papéis.

O monte dos Vendavais (ou mais conhecido pelo seu título original: Wuthering Heights)
Emily Brontë
Editora: Presença
Preço: 16,15€ (Se conseguir pode adquirir o pack do livro acima indicado, mais este por apenas 26,90€ aqui)

Um dos livros mais românticos que não é para todos os estomâgos e esófagos devido à sua singularidade. Quem não ama o Heathcliff na sua complexidade está mal habituada. Esqueçam o Romeu e a Julieta, que a história trágica do Heathcliff e da Catherine é mil vezes melhor. Preparem-se para uma história de fazer chorar as pedras da calçada!
Sinopse:

O Monte dos Vendavais é uma das grandes obras-primas da literatura inglesa. Único romance escrito por Emily Brontë, é a narrativa poderosa e tragicamente bela da paixão de Heathcliff e Catherine Earnshaw, de um amor tempestuoso e quase demoníaco que acabará por afectar as vidas de todos aqueles que os rodeiam como uma maldição. Adoptado em criança pelo patriarca da família Earnshaw, o senhor do Monte dos Vendavais, Heathcliff é ostracizado por Hindley, o filho legítimo, e levado a acreditar que Catherine, a irmã dele, não corresponde à intensidade dos seus sentimentos. Abandona assim o Monte dos Vendavais para regressar anos mais tarde disposto a levar a cabo a mais tenebrosa vingança. Magistral na construção da trama narrativa, na singularidade e força das personagens, na grandeza poética da sua visão, nodoso e agreste como a raiz da urze que cobre as charnecas de Yorkshire, O Monte dos Vendavais reveste-se da intemporalidade inerente à grande literatura.

A mão esquerda das Trevas
Ursula Le Guin
Editora: Presença
Preço: 15,11€ (Hora H?)

ATENÇÃO ESTE LIVRO É FICÇÃO CIENTÍFICA MAIS LITERATURA DE GÉNERO. 
Se não gosta nem de um, nem de outro, azar está a perder um dos melhores livros a habitarem nas prateleiras.
Eu nem fiz review do livro para não estragar, só vos digo que é das leituras mais profundas e tive todo o prazer em estudar Le Guin (pouco) na faculdade. Esta senhora aos 82 anos merece todo o respeito por tratar nos anos 70 de temas de grande complexidade e que até mesmo hoje em dia faz corar muita gente.

Sinopse:

Livro vencedor dos Prémios ‘Hugo’ e ‘Nebula’ (1969) traça um caminho de extrema originalidade por um mundo gelado de seres andróginos. Genly Ai é enviado para o planeta Gethen por uma federação interestelar, o Ecuménio. Governado por um rei extravagante, a estranheza deste universo acentua-se na multiplicidade de géneros sexuais, em que os seres podem ser simultaneamente mães e pais de diferentes crianças. Genly, o enviado para esta missão sofre uma mudança de pensamento e aprende a aceitar as diferenças abismais que encontra na forma de relacionamento entre estes seres. Le Guin explora criativamente os temas da identidade sexual, incesto, xenofobia, fidelidade e traição deixando, como na maior parte dos seus trabalhos, uma poderosa mensagem social que nos convida a ir além do racismo e sexismo. Um livro fascinante do princípio ao fim descrito como “um brilhante rasgo de imaginação” e considerado um dos grandes romances do século XX. Um imperdível clássico de ficção científica.

Must buy @ FLP – livros eternos

Na sequência de uma conversa no Facebook, onde a “Effi Briest” foi atropelada e a pedido da miss Vera Coutinho decidi criar um post com listas de livros que todos “devem” ter numa biblioteca. Podem também aproveitar para comprar os livros na Feira do Livro do Porto.

A Dávida
Toni Morrison
Editora: Presença
Preço: 13.53€ (na Feira deverá estar mais barato)

Laureada com o Prémio Nobel da Literatura em 1993, Toni Morrison foi a primeira autora mulher negra a ser brindada com o prémio que todos os escritores anseiam um dia receber.
A prosa de Morrison é dura, a sua escrita pinta retratos cruéis e muitas pessoas podem não achar piada à sua prosa devido à falta de conhecimentos sobre a história dos negros na América. Contudo, é preciso sempre ler além da palavra e deixar-nos levar pelas metáforas e símbolos nas palavras pinceladas por Morrison.

Sinopse:
A Dádiva é um romance extraordinário que se passa na América do Norte de finais do século XVII. Profundas divisões sociais e religiosas, opressões e preconceitos exacerbados propiciam o cenário ideal para a implantação da escravatura e do ódio racial. Jacob Vaark é um comerciante anglo-holandês que apesar de se manter à parte do negócio dos escravos, que então dá os primeiros passos, acaba por aceitar uma menina negra, Florens, como pagamento de uma dívida de um fazendeiro de Maryland. Nesta parábola do nascimento traumático dos Estados Unidos, Morrison revela-nos o que se esconde sob a superfície de qualquer tipo de sujeição, incluindo a da paixão, e o quanto essa falta de liberdade é nociva para a alma.

Effi Briest 
Theodor Fontane 
Editora: Difel
Preço: 18,17€ (poderá encontrar este livro em Alfarrabistas devido à falência da editora Difel)

Effi Briest foi o primeiro livro que li na licenciatura e ainda que seja um choque efectuar uma leitura hermenêutica de tal obra com poucas aulas de literatura . Para quem gosta de romances como Madame Bovary ou Anna Karenina e não quer ler muitas páginas, Effi Briest oferece a mesma essência na história (hey para quem lê todos os romances de Nora Roberts já está mais que habituado a isto de fórmulas gastas ad eternum), contudo o ambiente social e as personagens apresentam características diferentes. Não é um livro fácil de se ler, pois muitos dos acontecimentos acontecem entre linhas e é preciso estar atento ao mais pequeno pormenor. Uma leitura que, no entanto, quando bem efectuada dura para sempre.

Críticas de imprensa Um dos mais significativos romances alguma vez escritos.”
Thomas Mann – Prémio Nobel de 1929, autor de Morte em Veneza
Simplesmente magnífico… Absolutamente encantador.
The New York Times

O Adeus às Armas
Ernest Hemingway
Editora: Livros do Brasil
Preço: 13,90€

A vontade é dizer: É Hemnigway – ponto final. Mas isso não ajudaria muito as pessoas que nunca leram Hemingway… Vamos tentar outra frase… Este livro foi dos poucos que me causou vómitos, fez-me chorar e ter um AVC no fim! Yep, that should do it!
O “Adeus às armas” é tudo o que um livro perfeito é:
  • não é extenso;
  • contexto histórico (Primeira Guerra Mundial, escrita por um soldado que combateu nela) é perfeito;
  • A escrita de Heminway é sublime;
  • Trata de temas imortais como a fugacidade da vida e a mortalidade do homem;
  • O sr. ganhou o Prémio Nobel em 1954.
Now this should do it. Se arranjares uma capa mais bonita, comprem porque este é dos poucos livros que têm de estar numa estante. Se você tem 1000 livros e não tem este, é imperdoável!
Sinopse: 

Adeus às Armas, muito provavelmente o melhor romance americano sobre a I Guerra Mundial, é a história inesquecível de Frederic Henry, um condutor de ambulâncias que presta serviço na frente italiana, e da sua trágica paixão por uma bela enfermeira inglesa. Ernest Hemingway foi um dos autores que mais contribuiu para revolucionar o estilo da ficção de língua inglesa. Veio por isso a receber o Prémio Nobel de Literatura em 1954.

O revisor 
Ricardo Menéndez Salmón
Editora: Porto Editora
Preço: 14,40€ (se arranjarem o pack dos três livros não hesitem)

Recebi “O revisor” como prenda de anos e ainda que pensasse que seria uma leitura mediana, o livro foi um murro no estômago. Escrito com uma sensibilidade rara, Salmón é um dos jovens escritores mais promissores da Espanha. Aviso: nada o irá preparar para este livro, ele arrancar-lhe-á toda a esperança e felicidade, ainda assim este livro irá ficar gravado na sua memória. 

Sinopse:

Concebido como o testemunho de um cidadão comum, mas sobretudo como uma confissão de amor, O Revisor é uma homenagem àqueles que nos permitem manter o bom senso nos tempos de incerteza e um testemunho impressionante acerca do poder do amor nas suas diversas formas – a amizade, a paternidade, a sexualidade – como abrigo contra a inclemência da vida e contra as mentiras do Poder.

Na minha morte
William Faulkner
Editora: Dom Quixote
Preço: 17€ (esta edição está esgotada, mas deve ver a luz do dia numa nova edição para breve)

Faulkner é complicado de ser ler. A sua técnica de “stream of consciousness” faz o leitor por vezes desesperar durante a leitura. Um livro que me influenciou para o resto da vida com citações que carregam em si um simbolismo profundo. Se, para os hitchcarianos o moto é “Bring a Towel“, para “Na minha morte” a frase que ficará para sempre na memória será: “My mother is a fish.
Se lerem este livro aconselho a lerem-no de uma assentada só para saberem e a história e depois lerem todos os capítulos de cada personagem.

Sinopse:

“Na Minha Morte” é a história às vezes cómica, às vezes grotesca do esforço decidido de uma humilde família rural para cumprir a promessa que o pai fez à esposa moribunda: Addie Bundren deseja ser enterrada junto à sua família, na cidade de Jefferson, a cerca de oitenta quilómetros do sítio onde moram. Esta viagem, atrasada pelas inundações e pelo fogo e seguida por uma crescente nuvem de moscardos, demora nove dias.