Must watch: The IT crowd

De vez em quando, para complementar as leituras, costumo ver séries. Por vezes são só para descontair, outras servem para analisar partes como estrutura, diálogos etc. “The IT crowd” começou por puro divertimento e acabou por me tirar o ar, fazer-me chorar de tanto rir e ter a minha mãe ao meu lado a perguntar se eu me estava a sentir bem. Quer gostem ou detestem computadores, esta série é para todas as pessoas verem o que o pessoal do IT sente quando ligamos para eles.

The IT Crowd:

Para quem namora com um programador, acompanhar o dia-a-dia de uma equipa de IT (que não significa Internet Things) faz todo o sentido. A série só teve quatro temporadas, cada season com 6 episódios com 24 minutos de duração, aproximadamente.

“Have you tried turn it off and on again?” é uma das principais frases usadas pelos dois actores Chris O’Down e Richard Ayoad (Roy e Moss). Moss que é uma espécie de programador anti-social, esquisito, muito ao estilo de Sheldon Cooper, mas com um toque britânico e nerd. Roy, por seu lado, ainda que seja ambos geek e nerd tenta ser social e tem vários encontros com mulheres que nem sempre acabam bem.

Jen Barber é uma mulher que procura emprego e colocou no CV que tinha uma vasta experiência com computadores, na maioria relacionado com escrever e-mails, enviar e-mails, click, duplo click, etc. Jen acaba por ser a Manager do departamento do IT e nem ela se escapa de ser uma personagem muito pouco normal. Como a sua ignorância face ao mundo dos computadores é enorme, ela acaba por cair em cenas hilariantes e completamente idiotas.
Para além das piadas completamente geeks, momentos embaraçosos, personalidades das personagens completamente doidas, diálogos surreais, The IT Crowd consegue tornar um guião com imensas palavras típicas do britânico e ainda arranja espaço para falar de expressões típicas. Funny and educational.

Esta série tentou estrear nos Estados Unidos com uma versão americana, contudo foi um flop total (estilo Top Gear). Mas a verdade é que a série é mais humorista e menos cliché/esteriptipada que The Big Bang theory, nas piadas, nas personagens, no próprio cenário. Homenageia-se Dungeons & Dragons, a vida em Londres, ao teatro e sobretudo a vida numa empresa e o inferno que ela é por vezes. Por isso, vejam The IT crowd. Vale muito a pena.
Advertisements

About Adeselna Davies

Occasionally works as an English and German teacher, also loves to read all kind of books and wish someone would pay her to read and write reviews forever. She is also a magazine designer and writes short-stories.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog stats

NetGalley Wellness Challenge

July 2013
M T W T F S S
« Jun   Aug »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Goodreads

Livro do mês

Follow Illusionary Pleasure on WordPress.com

IL Buttons

%d bloggers like this: