A busca pela identidade

Sempre que dizemos adeus
Anna McPartlin
Editora: Quinta Essência
Páginas: 398

Sinopse:

Harri tenta por duas vezes casar com o amor da sua vida. Das duas vezes não consegue. Os pais esforçam-se distraí-la, mas é óbvio que sabem mais do que querem admitir sobre a sua fragilidade. Aquilo que são forçados a revelar vira o mundo de Harri do avesso. Parece que não só perdeu o noivo, mas também tudo aquilo que sempre tomou como certo. À medida que a verdade do seu passado vem ao de cima e o mundo que ela julgou conhecer se desmorona, Harri esforça-se por apanhar os cacos. Conseguirá encontrar-se novamente e, se o fizer, será demasiado tarde para o amor?

“Sempre que dizemos adeus” parece um título um pouco vago para uma história pela busca de uma identidade e outra história sobre o amor e a luta pela sobrevivência.
O que à primeira vista parece uma história provavelmente um pouco silly sobre casamentos falhados rapidamente transforma-se numa história com momentos pesados. As buscas pela identidade já foram abordadas na literatura feminina mais light por Kleypas, mas McPartlin decide introduzir um factor de humor e sobretudo algo de realismo em diversos momentos que raptam o leitor da sua monótona vida para um mundo paralelo.
As personagens secundárias têm um papel próprio na história, visto a história de Harri e Liv não ocuparem muito espaço. Contudo esse desenvolvimento traz uma lufada de ar fresco no leitor que precisa de vez em quando desanuviar dos dramas e infortúnios da vida de Liz e Harri.
“Sempre que dizemos adeus” é um livro quase impossível de não gostar, pois toca em temas sensíveis para nós enquanto pessoas e seres humanos, conscientes da nossa identidade e do nosso passado. Não podem faltar os vários finais felizes que aquecem o leitor mais sentimentalista ou simplesmente aquele que gosta de ver a ordem do mundo restaurada e os heróis recompensados.

PS: Embora a tradução tivesse já com o Acordo ortográfico, notei algumas gralhas, mas acima de tudo erros de tradução. Convinha que em futuras edições se procedesse a uma nova revisão, visto serem detalhes que se notam bem.

Advertisements

About Adeselna Davies

Occasionally works as an English and German teacher, also loves to read all kind of books and wish someone would pay her to read and write reviews forever. She is also a magazine designer and writes short-stories.

One response to “A busca pela identidade

  1. Nome da sequela: “…cada um vai para o seu lado!”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog stats

NetGalley Wellness Challenge

October 2012
M T W T F S S
« Sep   Nov »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Goodreads

Livro do mês

Follow Illusionary Pleasure on WordPress.com

IL Buttons

%d bloggers like this: