Penicos, meus amores! PENICOS!

O penico do céu
Hermino C. Francisco
Chiado Editora
Páginas: 342

Pensava a vossa querida Adeselna que ia ler um livro de rir sobre os tomates do Afonso Henriques… e sai-me um romance histórico não sobre penicos, mas sobre uma aldeia onde chovia muito e, por isso, diziam que se chamava o penico do céu! Está explicado o título. Vamos à crítica?
O penico do céu é um romance histórico, que conta a história do Vale de Midões, desde o momento em que foi baptizado com este nome e porquê, até aos dias de hoje. Atravessamos algumas gerações, mais propriamente o século X e XX. Os saltos temporais podem ser bem acompanhados, talvez porque o autor decidiu não investir muito tempo durante os saltos, de modo a que o leitor consiga compreender as informações adicionais. Dito isto, nota-se que o autor tem detalhes bastante curiosos sobre a Idade média, muitas vezes na construção do diálogo que não é artificial, mas que conjuga com a época. O autor apresenta ainda detalhes da economia da região e de detalhes como, por exemplo a comida. O romance possui ainda uma vertente religiosa em honra da Santa Luzia, padroeira da personagem principal: a família de Gualdin. A Santa protege a família e é a partir daí que o autor se apoia para justificar o porquê do sucesso e da sorte desta família. 
Embora o livro não siga a estrutura clássica, julgo que o livro serve apenas para contar a história de uma aldeia, que como o narrador diz, ninguém conhece. O que leva a que o autor abuse da regra “tell”, em vez de show. Curiosamente, não incomoda muito o leitor. Esta técnica de contar acontece como se conseguíssemos estar ao lado do narrador, a ouvir contar a história da sua aldeia esquecida pelo tempo.
Contudo, existem alguns problemas que quebraram a leitura, como o excesso de pontos de exclamação, o excesso de parágrafos numa página (por vezes eram 5 parágrafos na mesma página) e a mudança de narrador da 3º para a 1º pessoa. Encontrei apenas três gralhas, uma foi mesmo distracção do autor na acentuação.
Um livro para quem gostar de conhecer mais sobre aldeias esquecidas, com um toque leve de humor e com curiosidades históricas interessantes.
PS1: A capa está giríssima.
PS2: Tentei pesquisar sobre a aldeia ou a família no Google, mas sem sucesso. Se alguém conhecer algo sobre o Vale de Midões pode comentar aqui em baixo.

Sobre o autor:

Nasceu na Murganheira, Freguesia de Pombeiro da Beira, no ano de 1945. Começou a trabalhar na indústria hoteleira em Lisboa, com a idade de onze anos (1956). No fim do ano de 1962 foi para Angola e em 1970 abriu o seu primeiro bar na cidade de Lobito, Angola, e em 1975 retornou a Lisboa onde continuou a sua actividade de dono de bares. Em 2010 deu início à sua actividade literária.
Advertisements

One thought on “Penicos, meus amores! PENICOS!

  1. Inês Santos says:

    Não concordo contigo em relação à capa, mas gostos…

    Em relação ao resto achei imensa piada à tua introdução e como já ia lançada por causa da nossa conversa acabei por ler a tua opinião com uma mente mais aberta. O giro é que eu apanho pouco livros destes de “contar histórias” e até é algo que eu gosto. Por isso, e terminando, é um livro que fica para a lista a ler.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s