Ser docente

Sempre que estou aqui, esqueço-me que sou professora, mas hoje decidi colmatar essa falha e partilho livros sobre a profissão de três editoras!

Professores que marcam a Diferença
Maria João Lapo
Editor: Alfarroba
Colecção: Técnico
PVP: 13,80€
Páginas: 200

Sinopse

Trata-se de uma obra interessante, pertinente e oportuna que representa um contributo valioso para compreender um dos elementos-chave que fazem a diferença na vida escolar dos alunos: os professores.
Deve ser lida por professores, formadores de professores, directores de escolas e decisores políticos,pois possibilita a análise de dimensões e características do trabalho dos professores, ressaltando ainda a importância de reconhecer e valorizar a profissão docente.

Avaliação docente: eu tu e nós
Maria do Carmo Pinto
Maria João Lapo
Ana Maria Guedes
Paula Trindade

Editor: Alfarroba
Colecção: Técnico
PVP: 15,00€
Páginas: 156

Sinopse

Este livro sobre instrumentos e métodos, observação de aulas e supervisão, surge numa fase em que a avaliação do desempenho docente é um tema polémico da actualidade que tem feito parte da agenda das políticas educativas. Assim, pensamos que é fundamental que esta se torne a principal plataforma de desenvolvimento profissional, que possibilite a melhoria das práticas docentes e, consequentemente, se traduza na melhoria dos resultados da escola.

Os projectos apresentados pretendem servir de ajuda, reflexão e melhoria da prática de avaliação de desempenho docente, mas também tem como fim evidenciar a oportunidade de reconhecer, impulsionar e premiar o mérito, de valorizar a actividade lectiva e enobrecer a carreira dos docentes.

O livro contém um CD-ROM com documentos úteis para o leitor professor e para todos os interessados na temática da avaliação docente, que vão desde a legislação relevante a formulários práticos prontos a imprimir.

O “Eduquês” em Discurso Directo
Uma crítica da pedagogia romântica e construtivista
Nuno Crato
Edição/reimpressão: 2006
Páginas: 132
Editor: Gradiva Publicações
P.V.P.:9,09€

Sinopse

O ‘Eduquês’ em Discurso Directo disseca com rigor e impiedade os lugares comuns em educação. Mostra o vazio dos conceitos que têm dominado a pseudo-pedagogia do laxismo e da irresponsabilidade. Explica a ideologia frouxa que está por detrás da linguagem mole e palavrosa a que se tem chamado eduquês.
Depois de ler este livro, ninguém pode continuar a aceitar acriticamente expressões tão comuns como «aprender a aprender», «ensino centrado no aluno» ou «aprendizagem em contexto». Percebem-se as ideias nocivas por detrás dessas expressões aparentemente inócuas.
Minuciosamente documentado com delirantes citações de responsáveis pela política educativa, apoiado em referências críticas da psicologia e da pedagogia, este livro não deixa pedra sobre pedra no edifício ideológico do eduqês.
Nuno Crato é um professor de matemática preocupado com a educação. Armado de uma vasta cultura científica, de uma experiência de docência em vários países e de fundamentadas preocupações filosóficas, empreende neste livro a primeira crítica sistemática da pedagogia romântica e construtivista que em Portugal ficou conhecida como eduquês.
É a primeira obra no género no nosso país. Destina-se a professores, pais e todos os que se preocupam com o futuro. O ensino é um problema demasiado sério para ser confiado exclusivamente aos teóricos da pedagogia.

Saber Educar
Guia do Professor
Ramiro Marques
Coleção: Ensinar e Aprender
Nº de Páginas: 152
P.V.P.: 10,07 €

Sinopse

O leitor encontrará aqui a apresentação de métodos e técnicas de ensino, critérios para planificação e avaliação, estratégias para o desenvolvimento da vários tipos de projectos, bem como exemplos de actuação e recomendações práticas. O objectivo é oferecer um guia que pretende iluminar a acção pedagógica com ponderação e realismo, cobrindo todos os aspectos relevantes para a prática docente nas escolas.

Advertisements

2 thoughts on “Ser docente

  1. Carla M. Soares says:

    Não fosse final de ano e não estivesse 'pelos cabelos'com escola, os seus senãos, as suas hesitações e as dúvidas quanto ao presente e futuro da educação e quanto ao meu presente e futuro na educação, e aquele primeiro tentava-me.
    O do 'eduquês' também, que já me cansam as teorias e as coitadices e a aprendizagem divertida. Quando é que a escola alguma vez não foi aborrecida para os alunos?Quando é que um aluno alguma vez preferiu estar numa aula, qualquer aula, do que a jogar qualquer coisa, a namorar, ou na praia? Nem nós, adultos, quanto mais eles. E é assim que está certo. O importante é compreenderem que não é uma questão de gosto, mas de preparação para o futuro, um passo para um dia fazerem algo de que gostem. E que o cumprimento das obrigações tem uma recompensa: as boas notas sabem bem, mesmo nas disciplinas de que se gosta pouco. Uma vez compreendendo isso, o resto vem por acréscimo. Tenho tentado passar essa ideia aos meus alunos.
    E aqui está um comentário de 3 quilómetros sobre coisas que não interessam a ninguém nestes blogues. yey

  2. Barreiros says:

    Ai que alegria sinto ao ver estes lindos livrinhos e saber que nunca mas nunca mais na vida vou ser obrigadoa lê-los! Viva a reforma antecipada! Viva!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s