Girls just want to have fun!

Em todas as épocas, a nossa Literatura tem sido agraciada com vários tipos de livros – uns sobrevivem ao tempo (chamar-lhe-emos clássicos), outro serviram o seu propósito no tempo e desapareceram (muitos destes livros têm a denominação de literatura light). Os primeiros são obscuros, difícil de digerir muitas vezes, enquanto os segundos têm um parto fácil, vendem que nem pãezinhos quentes, contudo de um momento para o outro desaparecem das estantes das livrarias. O ódio que se tem vindo a demonstrar sobre a literatura light é em alguns casos extremista – não é possível desfrutar de um livro, se tivermos em mente a péssima qualidade da escrita, os temas fáceis e o enredo fácil. Nicholas Sparks e Nora Roberts têm sido os dois maiores contributos para dar má fama à literatura light. As suas obras fazem lembrar receitas de bolos: junta-se os ovos ao açúcar, sem esquecer da farinha, a partir desta base acrescenta-se um ingrediente novo e siga bingo! Felizmente existem outros livros que embora pertençam à categoria dos livros light conseguem surpreender e cativar o leitor.”Calder Promise” e “Um estranho nos meus braços” são dois livros de autoras diferentes, que foram devorados num dia. Visivelmente cansada do trabalho e da longa época de trabalhos, exames e testes tudo o que fosse mais ou menos de leve leitura seria bem-vindo.
Calder Promise começa mal, num ambiente de festa e luxuria Laura Calder conhece dois homens, um americano do Texas, Boone Rutledge e um britânico Sebastian Dunshill. A atracção pelos dois é imediata, mas Laura terá de decidir se quer um bilionário machista ou um homem com coração de ouro, mas que esconde um segredo. Cada leitura leva-me a pensar em algo. Neste caso foi sobre a promiscuidade de certas atitudes de Laura, mas sobretudo pela “tapadez” da mesma face a Boone. Não sei se é façanha da autora, mas sempre que uma heroina me parece tapadinha ou burrinha mascarada de personagem forte, fico a pensar que tipo de mensagem é esta? No fim acabamos por ler o livro à espera que a decisão certa seja feita, e parece-me que mesmo com o cérebro desligado as personagens parecem têm vida própria mas falta alto. A escrita é agradável, a história prende o leitor e para leitura de Verão ou de transporte é quase perfeito. Não se pode exigir muito mais de um livro que custou 3,50€ daí a crítica entusiasta, mas penso que nem tudo são rosas e que no fundo o resultado advém foi fruto de alguma reflexão após findar a leitura. A mensagem é clara: seguir o coração e o amor, mesmo que isso implique dormir com um homem numa noite e beijar outro no dia seguinte. O importante é que as mulheres apresentem uma certa libertinagem e facilidade em arranjar homens. Que peso tem esta mensagem na realidade? Estaremos talvez a passar o limite do romance/ erótico e da decência em nome da liberdade?
Outro livro lido de um trago só foi “Um estranho nos meus braços” depois de ver que tinha sido adquirido pela biblioteca da minha faculdade decidi ler. O livro é uma mistura de mistério com romance com erotismo e para além de prender o leitor, que espera um romance foleiro ainda consegue ter uma prosa cativante. Como li a tradução houve um aspecto que me irritou bastante, nomeadamente o uso constante do você, que para além de aumentar a distância entre as personagens, causa certa estranheza. A sinopse não auspicia nada de especial:

«Lady Hawksworth, o seu marido não está morto…» Lara não podia acreditar no que estava a ouvir. O seu marido, desaparecido há um ano num naufrágio, com quem tinha vivido um casamento infeliz e desprovido de amor estava vivo e iria voltar para casa. Como era possível? Lara não conseguiu controlar a emoção quando reencontrou Hunter. O homem frio e cruel que lhe atormentou a vida e só lhe deu dor, vergonha e humilhação no leito matrimonial. Agora estava ali. Mais magro, com a pele mais escura, mais velho… mas sem dúvida que era Hunter. Aquele homem conhecia segredos que só o marido podia saber, tinha a sua fotografia guardada numa peque na caixa , a mesma que ela lhe dera há três anos quando Hunter partira para a Índia . Mas, a o mesmo tempo, era um homem assustadoramente diferente. Mais meigo, atencioso aos seus caprichos, decidido a reconquistar o seu amor, a fazê-la sentir-se uma mulher desejada e a esquecer as memórias tristes do passado. Mas será aquele homem realmente o seu marido ou um impostor em cujos braços Lara se entrega em busca da felicidade?

Lara é a típica esposa de conveniência, que não ama o marido e muito menos sabe o que ele quer. Penso que a mensagem principal da obra será para as mulheres seguirem o que Lara conseguiu, despir-se de preconceitos e da imagem da boazinha para conseguir ser feliz no casamento. Longe eram os tempos onde a mulher submetia-se à vontade do homem e rezava para que tudo acabasse. O único problema reside no facto da personagem principal muitas vezes repetir os mesmos erros, de tentar empurrar o seu marido quando ele quer mostrar-lhe afecto. Em jeito de jogo ping-pong Lara salta constantemente de pensamentos: odiando que o marido a toque, mas quando este se aproxima não o consegue repelir. Não só a atracção física é forte em ambos os casos, como a autora consegue criar situações diferentes que privilegiam Hunter.
Advertisements

About Adeselna Davies

Occasionally works as an English and German teacher, also loves to read all kind of books and wish someone would pay her to read and write reviews forever. She is also a magazine designer and writes short-stories.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog stats

NetGalley Wellness Challenge

July 2011
M T W T F S S
« Jun   Aug »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Goodreads

Livro do mês

Follow Illusionary Pleasure on WordPress.com

IL Buttons

%d bloggers like this: