Material Girls: the Fiendish Pitfalls of Fashion


(ARC copy given by NetGalley)
Author: Elaine Dimopoulos
Publication:  5th May 2015
Publisher: HMH Books for Young Readers
Review by Lady Entropy

“In Marla Klein and Ivy Wilde’s world, teens are the gatekeepers of culture. A top fashion label employs sixteen-year-old Marla to dictate hot new clothing trends, while Ivy, a teen pop star, popularizes the garments that Marla approves. Both girls are pawns in a calculated but seductive system of corporate control, and both begin to question their world’s aggressive levels of consumption. Will their new “eco-chic” trend subversively resist and overturn the industry that controls every part of their lives?         Smart, provocative, and entertaining, this thrilling page-turner for teens questions the cult like mentality of fame and fashion.
Are you in or are you out?

I really enjoyed this book. As someone who has a secret guilty pleasure reading fashion YA books (I request all I can find in NG), I was surprised to find this one to be a lot more than just designer name-dropping or reality shows stories.

There is actually a message behind it. And more importantly, there is actually consequences for the heroine’s actions.

Also, and something I can’t stress enough is important while writing outside our own era and reality, there is actual world-building.

It’s half past the near future, and creative jobs (like singing, acting, choosing fashion) are now handed only to “the elite”, teenagers who are selected upon joining high school for their skills. Teenagers go to work like adults, and earn the highest income of the house — assuming they are part of the elite. If not, they are limited to going back to school, and looking forward to becoming “baselines” and making a modest living at best.

Marla Klein might be past her prime (16 year old! ew!) but she knows fashion when she sees it — she refuses to compromise her taste and ideals, even when it means risking the wrath of her superiors. And that gets in demoted quickly to a mere fashion sketcher.

On the other side of the spectrum, we have Ivy Wilde, a singing sensation, the Wilde Child of the music world. She is tired of the falseness, the idiocy, the synthetic life people like her are expected to live just because the rest of the world is too stupid to know better.

This book, then, follows two girls who are very disenchanted with the world society is set up today — eventually they cross paths and work together, even if Marla’s fall made her be at the lowest strata in the creative industry.

It unfolds in a very elegant, very organic plot, even if the final conflict does miss a certain… bang. I do like the ending, a twisted, sad and bizarre reflection (can’t clarify without spoiling). I also quite enjoyed the suggested list of reading and research the target audience could search to inform themselves — I love books that teach me new things. This helped add an extra layer of love for the book — Hunger Games, Battle Royal and Divergent (okay, maybe _not_ Divergent) are fun to read but they feel like “something that would never happen”. They lack the punch to the gut of feeling “this could be our reality one day”. “Material Girls is much closer to our world, it already is, to a point. It makes the book much more poignant, much more “kick in the feels” because, in a way, it is already happening. And it is damn scary.

As for the low points, I wish, really, that Marla mother didn’t suffer from the “plot convenient volte-face”. She became a completely different person, at a drop of a hat because it was “convenient” to up the ante, when until then she had been a loving, understanding mother, and it wasn’t Marla’s fault AT ALL what was done. I wish she had been handled better as she went from fully supportive to screaming harpy for no reason. At least I’d wish I’d get some subtle warnings about her true personality before.

All in all, a damn fine read for any YAs (and some adults) out there who are not only interested in fashion for fashion, but would actually like to know more about the behind-the-scenes of how big fashion houses work, and maybe think of finding a career in that world.

Um até já para carregar baterias que estão aos poucos a acabar

Hello pessoal,

Bem como podem ver o blog está paradíssimo desde hum bem desde que cheguei da Polónia! A verdade é que quando cheguei comecei à procura de casa, tirei férias no Algarve e ainda comecei a dar aulas aos meninos outra vez. Esta semana vou começar a dar aulas num Instituto Superior numa licenciatura o que me vai ocupar muitas horas de preparação de aulas.

Como sabem um blogue tira-nos muito tempo, manter parcerias, ler livros, colocar passatempos… sinceramente, estou com pouca paciência para manter algo assíduo. As minhas unhas estão uma BOSTAA1! Só me apetece espancar pessoas quando chego das aulas e quando a motivação está em baixo, mais vale fazer uma pausa e recarregar baterias. Ou matar as ditas pessoas, that also works. Sabem quando se chega a casa exausta e apetece-vos fazer TUDO menos sentar no pc e escrever uma review? Yup, é o que me acontece. Muitas vezes não tenho vontade NENHUMA de pegar num livro ou sequer inspiração para escrever um artigo por mais simples que seja ou pelo menos de forma a ser regular. Claro que tem noites em que leio tipo 2 livros seguidos só porque sim… sou tipo uma gaja com bipolaridade: GOD livros não… OMG preciso de ler 4 livros em 2 horas NOMNOM livros!

So, what will happen now?

Bem a Lady Entropy continua a escrever aqui e eu para já vou postando as minhas reviews em inglês e ocasionalmente algo mais no blog Crónicas de uma leitora. Quando notar que a minha vida deixa-me respirar, planeio voltar ao meu cantinho.

Neste momento quero tirar um tempo para fazer o que gosto por gosto e não por obrigação. Isto é um até já claro, não pensem que se livram de mim até porque as reviews irão aparecer no blogue da Vera e se for preciso no da Isabel (Os livros nossos). Vão ver que nem vão notar a minha ausência :p

Fangirl_15: So This Is What MetaFiction Looks Like

(ARC copy given by NetGalley)
Author: Aimee Roseland
Publication:  8th July 2014
Review by Lady Entropy

Chloe is in love with Lucien.

He’s enigmatic, compassionate, generous and intelligent. Likes classical music just as much as kicking ass and knows his way around a kitchen, though he’d never admit it. He’s gorgeous yet humble and can’t see past his own scars.

The only problem is that Lucien is a character in a novel.

The Dark Riders is one of the best selling paranormal romance series of all time, and it was destined to have eight installments, one for each of the brothers-in-arms. Except the writer died. Worse yet, book seven was finished by some poser that thought killing off one of the main characters would bring a more modern twist to the finale.

Chloe is absolutely devastated by the news that one of her “friends” is dead and that the series is canceled. A midnight escape from the locked office lands her in a deserted parking lot after hours where an unseen force has been waiting.  This supernatural assault strands her in an alternate reality where the Dark Riders are real and the horrible ending created by the publisher hasn’t happened yet.

The greatest strength of this book is how meta it is: an almost obsessive fangirl of a famous romantic urban fantasy series (coughBrotherhoodoftheBlackDaggercough) lives a boring life, wishing she lived in the books she so much loves. Her favourite author dies, leaving another author nobody likes, to complete the series and ruining it forever. And, then, she wakes up inside her beloved series, and proceeds to impress everyone with her secret knowledge of the world, gets adopted into the family and a life of luxury, and ends up finding her amazing powers (and romance with her favourite male character (coughZsadistcough) and never being the victim ever again.

As far as wish-fulfillment fantasies go this is the typical one (a better life + superpowers + wealth + a clique + hooking up with favourite character + being seen as beautiful), but I actually found myself liking how it was pulled off. Now, I know a lot of readers will be turned off by what amounts to Brotherhood of the Black Dagger self-insertion fanfiction (let us not kid ourselves, it is what this is, to the point where I was already addressing the book characters by their BoTBD counterpart’s names in my head — despite the nod to the Dark Hunter series). However, it is still written in a way that I could not fault the writer for, and I still empathized with the main character – certain parts were heartwrenching (I can totally relate to seeing someone taking a favourite book series of yours, and handing it to someone who basically ruins it while desperately trying to get more money out of it – the Chronicles of Amber comes to mind.)

I think the author tapped into a very specific aspect of being a fan of a series of books and managed to put into words things that we all felt before, and that is, I feel, the strong suit of the book.

Ultimately, I think I would recommend this to BotBD fans, because if you take away that particular aspect of the novel, it ends up losing most of its entertaining value, and you miss most of the nods to the main series.

O lago perdido

250_9789897261367_lago_perdidoLago perdido
Sarah Addison Allen
Quinta Essência
280 páginas








Uma história bela e arrebatadora sobre amores antigos e novos, e o poder das ligações que nos unem para sempre…
A primeira vez que Eby Pim viu Lago Perdido foi num postal. Apenas uma fotografia antiga e algumas palavras num pequeno quadrado de papel pesado, mas quando o viu soube que estava a olhar para o seu futuro.
Isso foi há metade de uma vida. Agora Lago Perdido está prestes a deslizar para o passado de Eby. O seu marido George faleceu há muito tempo. A maior parte da sua exigente família desapareceu. Tudo o que resta é uma velha estância de cabanas outrora encantadoras à beira do lago a sucumbirem ao calor e à humidade do Sul da Georgia, e um grupo de inadaptados fiéis atraídos para Lago Perdido ano após ano pelos seus próprios sonhos e desejos. É bastante, mas não o suficiente para impedir Eby de abrir mão de Lago Perdido e vendê-lo a um empreiteiro.
Este é por isso o seu último verão no lago… até que uma última oportunidade de reencontrar a família lhe bate à porta.

Livro recebido pela editora para review honesta

O Lago perdido é a viagem mais negra que Allen fez no seu percurso literário. Se os seus outros romances traduzidos carregavam um ambiente mágico, o Lago perdido é mais complexo, carregado de personagens e temáticas a elas associadas. O livro “fede” a morte: Kate e Eby são viúvas, Wes viu o seu pai e irmão morrer, Lisette sente-se culpada por um homem se ter suicidado por ela. São estes os pontos de partida que leva as personagens a mudar. Mas nem por isso o lago tem menos encanto. Se o início algo lento devido aos capítulos grandes pode demover um leitor mais habituado a uma história leve, por outro apela à reflexão de diversos temas através da personalidade e história das personagens. Ao mudar o foco constante de personagens, Allen deixa que o único protagonista, o lago, atraia e manipule os que o rodeiam. Tal como as suas personagens, o lago está perdido, escondido algures num lugar remoto.
Cada personagem está a aprender com os erros do passado e a tentar contorná-los no presente. Kate tenta ser uma mãe melhor, mesmo depois da perda do marido; Eby está dividida entre vender a propriedade após a morte de George, Wes luta contra a memória do seu falecido irmão, Lisette recusa os avanços amorosos de Jack, por sentimentos de culpa, mesmo estando apaixonada por ele. Todas estas personagens encarnam o tema universal da morte e de como se luta contra o sentimento de perda. Kate tem a filha e um antigo amor; Eby tem a propriedade tal como Wes e Lisette tem Eby como sua amiga.
Existe ainda um enorme paralelismo entre esta obra e o romance de Faulkner. Em ambas as histórias, a personagem principal é algo inanimado: o lago e o cadáver de Addie, o enredo revolve à sua volta no início ao fim mesmo que estas personagens não tenham direito a uma fala. A sua existência destabiliza tudo em seu redor.
No Lago perdido, Wes fala do seu falecido irmão que queria ser um crocodilo e Devin fala e vê um crocodilo no Lago Perdido. Na minha morte, Vandarmar, o filho mais novo quando vê o cadáver da mãe associa-a à imagem do seu peixe que morreu e diz: A minha mãe é um peixe.
Por ultimo, em ambas as obras as personagens fazem uma viagem grande para enterrarem o passado e começarem de novo, no Lago perdido ou depois de enterrarem Addie.
O Lago perdido pode ser lembrado como uma incursão negra nos romances de Allen, talvez devido à sua recente luta contra o cancro que coloca todo o nosso mundo mágico menos encantado. Contudo, a autora encontrou neste canto mais escuro algo que vale muito a pena ler. Porque quando arrancamos de nós personagens tão fieis e reais, combinamos temas intemporais e criamos uma obra lindíssima, é impossível não querer regressar a este mundo destruído de forma tão harmoniosa.

O que os bloggers vão ler este Verão: Livros e marcadores


*rasteja até à cama* Depois de um fim de semana sem descanso e uma segunda nas limpezas, venho colocar o novo blog da rúbrica e dizer que ando a escrever as reviews todas! Desta vez foi o querido Paulo Pires do blogue Livros e marcadores a envia a sua lista de leituras!



O que os bloggers vão ler este Verão: Epifania de letras


Por Ivonne Zuzarte do blogue Epifania de letras

O que tenciono ler este Verão – ou que já li – foi o desafio da Ruiba. Não interessa para o caso que a estação não esteja a fazer jus à sua reputação e o frio tenha vindo para ficar… Ora, vamos lá.

Novidades que já li: Para Sir Philip, Com Amor é um romance de época de uma das minhas autoras preferidas, Julia Quinn. Posso considerar o hit *internacional* deste Verão e, sem dúvida, o mais esperado por mim. No que toca aos nacionais, escolho Encontro em Itália, de Liliana Lavado, cuja acção se passa em Portugal e Itália, com muito humor, segredos pelo meio e um gato intrometido.

Livros que já li (sem ser novidade): Embora em Junho não tenha lido nada e esteja a recuperar as leituras, vou escolher dois com ratings opostos. Publicado em Maio, Só em Sonhos, de Sherrilyn Kenyon, infelizmente não chegou aos calcanhares de nenhum dos que mencionei em cima. O Êxtase, de Nicole Jordan, faz parte da série de época Noctorius. Apesar de não estar no meu top 3, é uma autora a ter em conta.

Novidades que tenciono ler: Um Amor na Cornualha, de Liz Fenwick, é um romance muito esperado por mim. Li o outro publicado também pela QE, A Casa dos Sonhos, e adorei. São leves, mesmo bons para descontrair nesta altura em que o sol nos torra a moleirinha – ainda estou com esperanças que o tempo deixe de ser bipolar. Como nenhuma das novidades de Julho que mandaste me chamou a atenção, a minha segunda escolha recai na novidade de Junho da PE, O Lugar do Coração, de Emily Giffin. Gostei da sinopse e normalmente tenho sorte com as leituras que faço do catálogo da editora.


O que estou a ler: A Chama ao Vento, edição digital da chancela da PE, de uma das minhas autoras nacionais favoritas, Carla M. Soares. Já tinha lido Alma Rebelde, também da PE em formato papel, e fiquei rendida. No início foi difícil de entrar na história, mas agora quero saber mais. Infelizmente, tenho andado pouco virada para leituras pesadas e tenho lido aos poucos e poucos para poder dar a atenção que merece.



Para terminar, e não sejam malandrecos pelo duplo sentido da frase, estou com Desejo, de J.R.Ward, da série Anjos Caídos. Li o primeiro e não me convenceu; comecei este segundo e parece que fiz as pazes. Beijarecos** (pode-se dizer isto num blog?!)… (no meu podes dizer tudo, amor!)


O que os bloggers vão ler este Verão: Clube dos livros



As férias foram boas mas já acabaram! Enquanto a Maratona de Verão continua a bombar, tenho recebido bastantes respostas dos bloggers tugas que me dizem o que andam a ler neste Verão. Desta vez foi o Paulo Lima do blogue Clube dos livros que mandou a sua lista.

Este verão, quero com isto dizer até final de Agosto, vou ler:
Morte nas Trevas de Pedro Garcia Rosado (terminar)
Sinto-te de Irene Cao (terminar)
Quero-te de Irene Cao
Até que sejas minha de Samantha Hayes
Enquanto dormes de Alberto Marini

Isto já deve ser prolongando até meio de Setembro, mas vou tentar esses e ainda mais alguns dos que se seguem:
O Marciano de Andy Weird​
​A Guerra Eterna de Joe Haldeman​
Cornos de Joe Hill (ler novamente, para refrescar a memória)
​Os Segredos do Clube ​Bilderberg de Vito Bruschini
História de Ó de Pauline Réage ou Pornografia de Witold Gombrowicz
Sim, é verdade que além do policial, fantástico e conspiração que tanto gosto, acho que começo a ler o “bem-bom” também.

Em relação ao que acho que seja o livro do verão, posso escolher vários por diferentes motivos:
#1 – Se olharmos a nível global, penso que seja “A culpa é das estrelas” de John Green, que como podes ver por ter o filme por trás, as vendas explodiram em todo mundo;
#2 – Se olharmos a nível de nacional ser massivo na promoção “invisível” de James Patterson, será um sério candidato; contudo irá concorrer provavelmente com o O Guardião das Causas Perdidas de Jussi Adler-Olsen, se o filme for bem aceite e falado.
#3 – Se pensarmos a nível de autores nacionais, acho que vai continuar a ser o Prometo Falhar de Pedro Chagas Freitas, pelo que tenho assistido.
#4 – A nível pessoal, a minha opinião é que o melhor do verão seja – Até que sejas minha de Samantha Hayes, Enquanto dormes de Alberto Marini ou O Nadador de ​Joakim Zander.

O que acham das escolhas do Paulo?
Se quiserem enviar a vossa lista, enviem e-mail para com os livros :)

O que os bloggers vão ler este Verão: Sinfonia dos livros


Um dia estava eu no Facebook e notei que mantem-se as tradições dos jornais irem à procura dos políticos portugueses para lhes perguntar o que vão ler neste Verão. Como se só durante o tempo de calor e praia fosse bom para ler..pff Por isso lembrei-me de perguntar aos bloggers o que iam ler/o que já tinham lido neste Verão! Alguns já responderam ao desafio, outros ainda estão a tempo de enviar um e-mail para

A primeira blogger a responder foi a Vera Neves do blogue Sinfonia dos livros


Este verão tem sido muito produtivo no que a leituras se refere. Estou a colocar em dia a série da Julia Quinn, até porque o “Para Sir Phillip com Amor” será uma das novidades que irei ler neste Verão e mal posso esperar para o receber. De novidades já li o “Viciadas em Sapatos” publicado pela Presença, li o “Os Segredos da Noite” publicado pela 5 Sentidos. Um dos objectivos deste Verão é conseguir ler o mais recente da Liliana Lavado “Encontro em Itália”. Mais uma das novidades que provavelmente vou ter de “dar o litro” para conseguir ler este verão será o “Na Sombra da Paixão” da J.R. Ward.

E porque é que terei de “dar o litro”? Porque tenho os outros todos anteriores para ler… Sou louca eu sei! Neste exacto momento, estou a ler “A Grande Revelação” da Julia Quinn e como tem sido habitual, estou a adorar! A Ivonne (Epifania de letras) conseguiu criar um monstro devorador de livros de época. Por agora não me estou a lembrar de mais nenhum assim que tenha em ideia ler… Só se for o “Perdoa-me” da Lesley Pearse, em ebook. Mas a ver vamos… The Summer is still a child (or not).

REVIEW – Gilded Flower series

Gilded Lily
Calla Lily
Vivian Winslow
E-books provided by the author for an honest review

NOTE: Tomorrow comes out the third book: Tiger Lily! Check the links below after the review, there’s a button there that says buy ebook and it will direct you to Amazon.

After catching her fiancé Jack in bed with her sister the day before her wedding, New York socialite Lily Baron escapes to Rio, her honeymoon destination—alone. There, Marcelo, the dark and sexy hotel masseur, releases a heated passion Lily had never experienced with Jack. When Lily meets handsome and powerful Brazillionaire Gustavo de Lima, she can hardly resist him. There’s just one problem. He’s married. In this uber-sensual city, will Lily’s reluctance to be with a married man, in light of her own fiancé’s betrayal, give way to her burning desire for Gustavo?

Having experienced a profound personal and sexual awakening during her solo honeymoon to Brazil, New York socialite Lily Baron rushes back to New York upon hearing the news that her father has fallen ill. Now, Lily must take the helm of the Baron Media empire and fend off a high-stakes hostile takeover attempt. With the fate of the company hanging in the balance, will Lily be able to resist the advances of the luring, unwanted suitor in the boardroom as well as the bedroom?

It has been a while since I have read an erotica book, if you have been paying attention to this blog, you can see that I have been choosing carefully the authors. After a string of poorly written novels, reading Lily’s story was really nice. I held no expectation before reading these two novellas, I no longer believe in 5star reviews, which state that the book is amazing and awesome. I wanted more while reading it and I got it.

Now let’s not believe that the Lily trilogy is an award winning series or even something highly complex. It is not. The novellas have 76 pages, hence the action is fast and the reader must pay attention to little details – sentences that the characters say – the way they act in order to understand their personality and what Lily story is all about.

Personally, Lily is not only about sex. While the first novella is about her finding her sexual identity, the second book focuses more on her professional life. She was someone with no clue regarding pleasurable sex, her fiancé was awful in bed and a cheater. In order to discover what she enjoys, Lily takes on different partners (Todd, Marcelo and Gustavo). She is a free woman and as such she has very few limits. And this is where the novella gets tricky. Lily is a woman of beliefs: she was cheated on so she will never accept a relationship with a married man, however she can’t deny her attraction to Gustavo and the plot is almost cyclical in the first book. Lily is learning how to live after a devastating breakup and we, as readers, watch her making decisions and mistakes and learn with them.

The second book is more filled with doubts and anger. It focus on Lily’s thoughts and struggle between duty and her feelings. It is good to see that she is getting stronger and with more depth: she loves Gustavo but she has to keep her father’s business. Another interesting thing is that you have no idea how this is going to end. Will Lily find true balance between lust, love and her job? Will she need to give up anything? If so, will she give up love for duty? The cool thing is: anything that she chooses will say a lot about her. If she chooses love, she will prefer safety and a warm and secure future. If she chooses duty: she is free to explore her sexual experiences and maybe will lose love and return to “an empty apartment”.

Being a novella, there are some details that are left unexplored for example there are few descriptions and few romantic scenes. Everything is action packed and fast which lacks in a more thorough exploration of setting and depth. However for 90 cents, these novellas are a really cool way to relax and perfect for a steamy read at the beach.


Amazon | Kobo | Goodreads | Facebook |Barnes & Nobles



Having spent most of the last two decades abroad, Vivian Winslow currently resides in New York City with her husband and two grade school-aged children. Her stories are heavily influenced by her ex-pat experiences. The Gilded Flower Series is her first foray into erotic romance.

Vem aí FC tuga!


Comandante Serralves
Despojos de Guerra
Autores: Ana Ferreira / Carlos Silva/ Inês Montenegro/ Joel Puga/ Rui Leite / Vitor Frazão
Género: Ficção Científica: space opera
Revisão: Mariana Teixeira
Capa de Ana Silva Monteiro
Visitem o site da Imaginauta

Bem-vindos ao projecto Serralves! Há quase um ano, o Carlos Silva abordou-me com os seus contos do Serralves e do seu worldbuild. Queres escrever um conto? Nunca escrevi FC pura, you know, aliens, mundos novos. A minha experiência de FC é muito steampunk e tudo que seja punk. Por isso fiquei super feliz pelo convite do Carlos Silva e foi uma honra estar ao lado dos meus amigos da Corte de Norte: Rui Leite e Inês Montengro. Estive no Central Comics Fest  a apresentar com o resto da malta a antologia e foi estranho falar para as pessoas sobre o conto sem elas o terem lido. O conto apesar de pequeno tem a sua densidade e é para ser lido com calma e sem pressa. Já tenho um conto de erótica publicado e agora um de FC :) Aos poucos, com as oportunidades que me vão dando, começa-se a trilhar um caminho e a criar uma identidade literária própria.

Para quem estiver curioso deixo a sinopse geral e dos contos individuais, tentem adivinhar qual o conto que pertence a quem!


Esta é a Era da Aliança Humana. Uma nova ordem Mundial forjada a sangue e fogo pela necessidade de unir os povos da Terra para derrotar uma invasão alienígena.
Não, esta não é a estória dessa guerra. Essa já nos foi contada e recontada pela FC desde os seus primórdios. Esta é a estória do que veio depois.
São tempos de paz, união, desenvolvimento, abundância e colonização do sistema solar. No entanto, tudo tem um preço e nem todos estão dispostos a aceitar o sacrifício da liberdade e da cultura de cada povo em troco deste futuro unido sobre uma única égide. E ninguém se rebela mais que o vulpino, grandíloquo e questionável Comandante Serralves. Armado com umas quantas “prendas” deixadas pelos derrotados invasores e na companhia de um caótico imbróglio de aliados, o perigoso rebelde garantirá que o poder estabelecido nunca tenha uma noite de sono descansada.
Na tradição das clássicas space operas, “Comandante Serralves – Despojos de Guerra” é um universo aberto escrito a seis mãos. O que começou como um modesto conto e um protagonista-conceito simples, floresceu em complexidade e novas perspectivas ao ser expostos aos talentos (e consideráveis neuroses) de um grupo de jovens escritores.
Uma aventura espacial excitante e intrigante que promete apelar a todos os leitores.

Métodos de Evasão – O Comandante foi capturado e levado para o coração do império, onde longe da sua tripulação e da sua nave, está à mercê dos seus inimigos. Porém, como em tudo em Serralves, nem tudo é o que parece, e ele tem uma surpresa guardada para quem o interroga.

Sinais – Das minas marcianas às selvas do Vietname há segredos que podem derrubar a Aliança. Infelizmente, na ambição para descobri-los, Serralves por vezes esquece-se que também tem muito a esconder…

Dogson – Na juventude, Dodgson disponibilizara o corpo para se tornar um Serralves em potencial. Os anos e a experiência, no entanto, alteraram-lhe a vontade e os ideais, fazendo-o temer pelo destino que lhe poderá levar a existência repentinamente e sem aviso…

Despojos de Guerra – Na confusão de um contra-ataque a uma tripulação de piratas espaciais, os olhos de Serralves reconhecem uma arma alienígena.
De onde veio ela? Haverá mais? Quem mais tem conhecimento da sua existência?
Uma corrida contra o tempo num dos planetas mais inóspitos do Sistema Solar.

Das Eigentum – Um pahoehoente resiste na Terra. Para nós, estes aliens quase destruíram o nosso planeta, contudo o Comandante Serralves irá descobrir um outro lado do inimigo.

A Guerra Esquecida – Após uma batalha espacial, Serralves acorda, com um novo corpo, num local gelado e desolado. Não se trata, porém, de um planeta distante, mas de um ponto remoto da Terra onde fará descobertas que mudarão para sempre os livros de história.

Static Falls – Serralves e Emily partem numa missão diplomática à recém-descoberta colónia de “Static Falls” onde tudo parece ter parado em meados do século XX. No entanto, nas entranhas daquela estranha comunidade, escondem-se terríveis segredos que poderão significar o fim do Comandante.

Blog stats

NetGalley Wellness Challenge

November 2015
« Apr    


Livro do mês

Follow Illusionary Pleasure on

IL Buttons


Get every new post delivered to your Inbox.

Join 631 other followers